Saturday, February 24, 2007

De que se faz um pastor?


Nestes dias estive presente em ordenações de três novos pastores e em uma delas, tive o privilégio de trazer a mensagem principal, da qual extrai algumas frases, a pretexto da signficativa, crescente e lastimável perda de credibilidade e de respeitabilidade dos ministros religiosos aos olhos da sociedade, especialmente no Brasil.

Ninguém faz um pastor.
Nem seminário, nem presbitério, nem igreja.
A matéria prima de quem é chamado para ser pastor só está disponível no céu. É inalcançável a mãos humanas e a estruturas terrenas.
O pastor é formado da firme convicção de um chamado soberano e irrecusável da parte do Senhor da Seara.
O pastor é formado da constatação que podendo ser qualquer coisa não consegue ser outra coisa senão pastor.
O pastor é formado do sentimento que apesar dele mesmo, não há experiência mais satisfatória e gloriosa do que ser instrumento de Deus.
O pastor é formado do desejo intenso de ver projeto deformado de gente se transformando em realidade restaurada de gente à imagem de Deus.
O pastor é formado da renúncia de sonhos e ambições pessoais trocados voluntariamente pelo alvo maior e melhor de ser embaixador do Reino de Deus.
O pastor é formado da alegria dos sorrisos do rebanho em pastos verdejantes e águas cristalinas e das lágrimas tristes da ovelha em luta no vale da sombra da morte.
O pastor é formado da esperança de receber a recompensa um dia no céu: “Servo bom e fiel! Foste fiel no pouco sobre o muito te colocarei”.
Não quero ser pessimista, mas a realidade mostra que, à medida que o tempo passa e os dias se tornam cada vez mais difíceis, este pastor segundo o coração de Deus se torna espécie em extinção.
Contudo, podemos presenciar que um remanescente fiel ainda nos faz sentir prazer de sermos reconhecidos como ministros da Palavra.

1 comment:

Waleska said...

Como é bom saber que faço parte de um rebanho onde ainda existe um verdadeiro pastor de almas. Agradeço ao Senhor do Universo diariamente por essa benção.
Deus te abençoe, meu Pastor.
Waleska